Vereador Maildson reforça apoio à greve dos Professores Estaduais

por Clely Ferreira publicado 17/04/2019 12h35, última modificação 17/04/2019 16h52 Texto: Clely Ferreira – Assessoria de Imprensa da Câmara / Foto: Simone Brandão
Mais uma vez, o vereador Maildson Fonseca (PSDB) tratou sobre o movimento grevista dos professores da rede estadual em Parintins. Na tribuna, nessa terça-feira (16), com ênfase ao assunto, clamou por atenção para a categoria dos professores.

Mais uma vez, o vereador Maildson Fonseca (PSDB) tratou sobre o movimento grevista dos professores da rede estadual em Parintins. Na tribuna, nessa terça-feira (16), com ênfase ao assunto, clamou por atenção para a categoria dos professores.

“É gracioso quando o governador apela para a justiça, correndo do diálogo com os mesmos porque não tem argumentos para apresentar”, satirizou. Maildson condena a atitude de Wilson Lima e caracteriza como “incompetência administrativa”, também afirma que ele “não tem compromisso nenhum com o Estado”.

“Nós estamos aqui, indignados de como estão conduzindo a educação no município de Parintins na rede estadual. As pessoas que antes levantavam a bandeira dizendo que estavam a favor da categoria, agora estão aliadas aos que a perseguem”. A indignação do parlamentar, que também é professor, refere-se à postura alheia da atual Coordenadora da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) em Parintins, Keila Nogueira.

O parlamentar novamente remeteu à cena em que ela esfregou seu contracheque na cara do ex-governador e disse que queria a melhoria da categoria. “Muita hipocrisia! Não queria o melhor salário para os professores, queria para senhora e conseguiu”, declarou.

“Deixe sua cadeira e vai lá na greve mostrar agora seu contracheque para os professores, ou melhor, se tem compromisso com os educadores, faça o que eu estou falando, deixe seu cargo e vá para Praça Eduardo Ribeiro pegar chuva, junto com os professores. Vá para as ruas caminhar, para as reuniões reivindicar aquilo que é direito da categoria e não direito isolado”, desafiou.

Com isto, o edil reforçou o apoio à classe e à luta “por aquilo que eles têm a certeza do que é seu por direito, que é a dignidade na valorização profissional através de seus salários”.