Telo propõe Cidadania Parintinense a Dom Giuliano e Sessão Especial pelos 70 anos Banco da Amazônia em Parintins

por Clely Ferreira publicado 26/03/2019 03h46, última modificação 26/03/2019 03h46 Texto: Clely Ferreira – Assessoria de Imprensa da Câmara / Foto: Simone Brandão
Bispo da Diocese de Parintins será outorgado Cidadão Parintinense. Por meio de Projeto de Decreto Legislativo, o presidente da Câmara Municipal, vereador Telo Pinto (PSDB), solicitou a honraria nessa segunda-feira (25). Submetido à apreciação do plenário, a aprovação foi unânime.

Bispo da Diocese de Parintins será outorgado Cidadão Parintinense. Por meio de Projeto de Decreto Legislativo, o presidente da Câmara Municipal, vereador Telo Pinto (PSDB), solicitou a honraria nessa segunda-feira (25). Submetido à apreciação do plenário, a aprovação foi unânime.

Ao justificar os motivos, frisou que Dom Giuliano Frigeni completou esse mês 20 anos de Episcopado. São duas décadas de trabalhos evangelísticos, com investimentos sociais como Centro Nossa Senhora das Graças, cuja atividade visa o acompanhamento de crianças e adolescentes carentes no bairro do Itaúna II, “para evitar que sejam vítimas do abandono sócio-familiar”.

O parlamentar destacou a importância de “reconhecer as pessoas que fazem o bem à cidade” e evidenciou desafios, como a determinação em manter o hospital Pe. Colombo. “Tenho acompanhado a luta, sempre buscando parceria com prefeito Bi Garcia. Todos os anos é um sacrifício gigantesco de resgatar e renovar, fazer com que o Estado repasse recursos”, informou.

Mais um pedido aprovado foi para realização de Sessão Especial pelos 70 anos Banco da Amazônia em Parintins, solicitado via requerimento verbal. A agência bancária vai comemora sua fundação no dia 01 de abril, mas a data requerida pelo edil foi o dia 03. Telo pretende “levar ao conhecimento da população o que o Banco da Amazônia fez e ainda vai fazer pela cidade” e “cobrar que financiamentos aos pequenos, médios e grandes produtores do nosso município”.

Quanto à falta de profissionais nas escolas estaduais de Caburi e Mocambo, questionou “como dar dar qualidade de ensino se não tem funções primordiais para o funcionamento da Escola”. declarou que a situação é preocupante, devido possibilidade de paralisação caso não seja resolvida.

“Vereador Renei, Vereador Afonso, vou estar com vocês nessa empreitada. Se possível for, vamos a Manaus, vamos buscar o secretário de Educação, vamos resolver essa situação das escolas do Estado no nosso município”, afirmou.