Maildson categoriza obras inauguradas como prestação de contas

por Clely Ferreira publicado 29/05/2019 18h09, última modificação 29/05/2019 18h09 Texto: Clely Ferreira – Assessoria de Imprensa da Câmara / Foto: Simone Brandão
Quanto à vinda do governador, o vereador esclareceu o porquê de ter se recusado a comparecer na programação.

Prestação de contas dos recursos públicos destinados a Parintins. Assim o vereador Maildson (PSDB) categorizou nesta terça-feira (28) algumas obras inauguradas na cidade.

“Uma emenda do ex-deputado Federal Hissa Abrahão e o prefeito Bi Garcia mostrou que os recursos das emendas no nosso município eles são executados”, destacou, ao citar a reinauguração do Mercado Municipal Leopoldo Neves.

“Verificamos aquele ato histórico dramatizado ali, confesso a vocês que me emocionei. Naquela época, eu nem era nascido, mas, imaginei a festa que foi no município, receber um Mercado, o qual representa uma economia forte dentro do município, porque ali transita a aplicação de recurso. As pessoas estão ali para comprar e outros estão para vender, fazendo com que essa troca movimente a economia”, completou.

Quanto à alocação dos feirantes, lembrou que foi dito que algumas pessoas poderiam ficariam de fora. “Todo mundo teve seu lugar ao sol para ganhar seu dinheirinho, inclusive, até novas pessoas também estão ali. Como que é que ia deixar de fora se ampliou o espaço”, elucidou.

A inauguração da Unidade Básica de Saúde Padre Francisco Lupino foi outra obra pontuada pelo parlamentar. “Padre Lupino é uma pessoa que merece nossas recordações e memórias, pelo quanto correu atrás para que recursos públicos viessem ao nosso município e agora recebe seu nome ali gravado, em um local onde representa a responsabilidade de homens públicos, representa o local em que profissionais da Saúde irão cuidar do povo para que de fato a população receba o repasse dos recursos públicos que são oriundos dos nossos impostos”, analisou.

Quanto à vinda do governador, ressaltou o porquê de ter se recusado a comparecer na programação. “Primeiro, eu não acredito na administração dele, é muito ‘blá blá blá’ e pouco acontecimento. Eu, como professor me senti na condição de sentir vergonha de chegar diante de um cara que fica maltratando a categoria, que mentiu durante uma campanha dizendo que na sua administração jamais professor faria greve. No entanto, foi necessária. Ele simplesmente se recusa a atender os professores. Eu, enquanto professor, me recusei estar diante daquele cidadão”, esclareceu.

Maildson declarou que é oposição ao Governador do Estado. “Fui contra e continuo contra. Se tem uma oposição a ele aqui dentro, tem. Posso até ser minoria, estar do lado do menos favorecido, mas, faço a oposição a ele sim. Não tenho porquê defender esse Governador, só vejo reclamação. Posso mais tarde voltar atrás? Posso! Quando ele mostrar que tem dignidade de honrar o cargo que ele foi escolhido”, finalizou.